quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

"Ouse pensar diferente... daremos um jeito em você"

Theo Pimenta


Você já se sentiu como o personagem desta ilustração?

Nunca havia experimentado tal sensação até começar a pensar, ponderar e manifestar discordâncias com relação ao sistema religioso vigente nas igrejas evangélicas atuais.

Parece que não há espaço para opiniões e pensamentos divergentes daqueles preconizados e ensinados pelo sistema religioso local.

É necessário que todos pensem igual, ajam do mesmo modo e concordem com tudo o que o líder religioso ensina utilizando-se da bíblia para tal, caso contrário, esta pessoa começa a ser vista como "alguém do mal".

A qualquer possibilidade de ameaça que você gere contra o sistema vem logo uma intimidação: "olha, cuidado com a rebeldia", "não toques no ungido so Senhor, lembre de Davi...", "não ouse se levantar contra o escolhido de Deus" e demais frases intimidatórias utilizadas para amedrontar.

Frequentemente ouvimos maldições proferidas de cima de púlpitos por ditos "servos do Altíssimo" sobre pessoas que pensam diferente do que o ensinado pelo sistema. E o pior é que usam a bíblia para embasar suas maldições. Isso mesmo. Isto é repugnante e totalmente contra o mandamento no qual Jesus resumiu todos os demais: Amai a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a você mesmo.

Infelizmente o que temos visto dentro das igrejas é isso: "ou você pensa igual e defende nosso código de conduta ou damos um jeito de jogá-lo na fogueira e qualificá-lo como rebelde". Para o líder é fácil fazer isso, pois ele tem o microfone e o respeito da maioria.

Pergunto:

- Isso é amor ao próximo? Jesus agiria assim?

- Será que Jesus atacaria ou amaldiçoaria alguém que ousasse discordar de seus pensamentos?

- Será que Jesus gostaria de nos ver amaldiçoando aqueles que não aceitam doutrinas e pensamentos que defendemos como bíblicas e corretas? Ou será que Ele gostaria que apenas amássemos essas pessoas?

- Até quando vamos matar pessoas que não aceitam nossas "verdades absolutas e imutáveis"?

Pense na sua resposta.

Temo que a igreja está caminhando para o contrário do que Jesus ensinou no evangelho.

Temo que líderes eclesiásticos estejam mais preocupados com códigos de conduta de suas igrejas do que com o amor às vidas.

Temo que alguns líderes estejam mais preocupados em alcançar a tão pregada prosperidade do que em cuidar de órfãos e viúvas.

Temo que os interesses pessoais de líderes atuais estejam acima dos interesses do Reino.

Temo que a igreja esteja fazendo, muitas vezes, um desserviço ao Reino.

Temo que a motivação de muitos líderes seja errada.

Temo que líderes tem ensinado aquilo que é conveniente para encher suas igrejas.

Lamentavelmente este é o panorama da igreja evangélica atual.

A religião tem sido mais adorada e honrada do que o próprio Deus.

Participei de uma cerimônia de ordenação em uma determinada denominação. Não pude deixar de observar que na declaração de lealdade a ordem era: primeiro ao pastor, segundo a igreja e seus interesses e em terceiro a Deus. Isso me impactou.

Enquanto agirmos dessa forma estaremos enganando a nós mesmos. Estaremos alimentando nosso próprio ventre e deixando de lado as prioridades do evangelho.

Diante disso tudo concluo:

FUJA DA RELIGIÃO, FUJA DOS MAUS LÍDERES, FUJA ENQUANTO HÁ TEMPO...

VIVA O EVANGELHO E A LIBERDADE PARA QUAL O SENHOR JESUS NOS CHAMOU...

Vale a pena não compactuar com as mentiras da religião e defender as verdades do evangelho, mesmo que para isso você seja empurrado para a fogueira...

Theo postou no Evangelho e Religião e Xtaor divulgou.

Incognito 002


Incognito 001


Como criança 001


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

JESUS ESTÁ DEMORANDO DEMAIS! FAZ PARA NÓS UM ÍDOLO, QUERIDO PASTOR!


JESUS ESTÁ DEMORANDO DEMAIS! FAZ PARA NÓS UM ÍDOLO, QUERIDO PASTOR!

(Êxodo 32)


Então Arão disse: todo mundo me dá o ouro que tem. E as mulheres trouxeram todas as jóias de ouro que tinham. Aquelas que haviam pegado do Egito no dia que saíram de lá.
É surpreendente o paralelo do comportamento do povo eleito de Deus, Israel daquele tempo, com a Igreja de hoje. Os mesmos padrões se repetem simplesmente. O Apostolo Paulo bem adverte que as Escrituras estão aí para nos instruir, corrigir e fazermos lembrar e perceber o que esta acontecendo ou que está por acontecer.
 

Arão perdeu a bússola 


O povo tava fazendo muita pressão para o pastor. Ao ponto que ele decide, sem consultar com ninguém, construir uma teologia estranha, para acalmar o desespero do povo. Ele inventa a “unção do Bezerro de ouro” que nesse tempo como agora representava o poder de fazer as coisas a vontade com ousadia, não tendo ninguém para se opor. Os povos da vizinhança tinham um deus parecido que eles adoravam porem, não porque lhe respeitavam, nem falar de que lhe amavam. Louvavam ao bezerro porque ele nunca cobraria nenhuma coisa de eles. Adoravam-lhe justamente porque não fazia nada. Porque nessa teologia o deus e você!

Se deus é você, então tem o controle na mão. Pode fazer o que quiser. Isso é ótimo para ocupar-se de seus instintos e agir segundo seus desejos. Nesses planos o Deus Jeová, está fora. Por isto nem falar sobre O Juiz, o juízo ou o julgamento final.  Isto tem que ser esquecido o mais que puder. Porque viver sabendo que seremos cobrados por cada um dos atos que fazemos na vida, impede curtir “livremente” a vida.
 

Arão perdeu o controle

Quando o povo deu para Arão todo o ouro que ele pediu, ele tinha que fazer o que prometeu. Construir o bezerro, o ídolo, para trocar-lo por Deus. “Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.”(v.4).


Vendo que esse joguinho de soltar a corda para o povo tirar o estresse, acabou saindo do controle, tarde demais, percebeu o Pastor Arão, que o povo já tinha se corrompido, “Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e apregoou Arão, e disse: Amanhã será festa ao SENHOR.”


As coisas do Senhor não são assim Arão. Não pode misturar sensualidade (viver sujeitos aos sentidos) com a verdadeira adoração ao Senhor. Deixar que acontecesse essa mistura é a ruína do verdadeiro culto a Deus.
 

O culto ao Senhor virou carnaval gospel

“E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar.” (v.6) Tudo parecia beleza, o povo trouxe os animais para o sacrifício, fez churrasco e trouxe muita bebida para comemorar ao estilo evangélico, mas uma festa estranha. O culto a Deus misturado com o culto aos sentidos, atrás da moda gospel.  Simplesmente um evangelho falsificado. Um evangelho que convive com o pecado. Donde se adora um deus que não amaldiçoa, um deus que não vai apagar de seu livro meu nome, porque “eu sou filho de Deus”, ainda que um viva fornicando, adulterando, roubando ou bebendo ou comendo demais. “Pois eu tenho o selo da promessa em mim”. “Alem disso, Deus é fiel” e ele “cumprirá todos os sonhos que sonhou pra mim.”
 

Mas Deus Jeová esta vendo tudo

“Então disse o SENHOR a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido, (v.7) E depressa se tem desviado do caminho que eu lhe tinha ordenado; eles fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e ofereceram-lhe sacrifícios, e disseram: Este é o teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.”(v.8).  Deus lhe disse também: Tranqüilo Moises, deixa que eu aniquile esse povo teimoso. Não vale a pena ficar com raiva (vv.9-10)
 

Moises como Jesus O Senhor podem adiar o juízo, mas o castigo virá

Moises pediu então a Deus para ter misericórdia do seu povo. Deus aceita o pedido, vai ter paciência. Mas o juízo vem assim como o castigo. De esses 600 mil adultos que saíram do Egito, não ficaram nem de perto da terra prometida, só dois chegaram lá. Assim como toda essa multidão de cristãos gospel não entrará na Nova Jerusalém, o céu de Deus.


Moisés está por enfrentar ao povo, Josué que acompanhou ele no seu encontro com Deus, tentando animá-lo e querendo ser positivo disse: há gritos de guerra no meio do povo? Mas Moises já sabe o que acontece e sabe o que terá que fazer. Responde ao Josué: Não é grito de guerra nenhuma! Não escuta que é musica de festa, é carnaval o que eles têm lá!. Arão estava levantando poeira, e deixando que o povo “tire o pé do chão!”, com pretexto de adorar a Deus, estavam louvando a sua própria sensualidade.
 

Ah, Arão que te fizeram! que te fizeram!

 “E Moisés perguntou a Arão: Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado? (v.21) Então respondeu Arão: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal (v.22). E eles me disseram: Faze-nos um deus que vá adiante de nós; porque não sabemos o que sucedeu a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito.(v.23) Então eu lhes disse: Quem tem ouro, arranque-o; e deram-me, e lancei-o no fogo, e saiu este bezerro.(v.24)”
Essa desculpa de Arão ninguém vai acreditar, não é nada convincente! Ora, olha será por isto que Arão também não entrou na terra prometida?


“E nós agora envergonhados mesmo porque até os vizinhos zombam de nós”. Pois o crente quando decide pecar, peca pior que os não crentes: “Esse disse ser crente? Já conheço muito bem esse crentinho sim...”
 

Como consertamos a bagunça queridos Arãos, pastores do evangelho gospel?

“Pôs-se em pé Moisés na porta do arraial e disse: Quem é do SENHOR, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi (v.26). E disse-lhes: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a sua coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho (v.27). E os filhos de Levi fizeram conforme a palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens (v.28). Porquanto Moisés tinha dito: Consagrai hoje as vossas mãos ao SENHOR; porquanto cada um será contra o seu filho e contra o seu irmão; e isto, para que ele vos conceda hoje uma bênção (v.29).”


Só uma postura radical frente ao pecado, conseguirá tirar-nos do caminho ao inferno. Não tem outra saída. Se tiver que disciplinar ou expulsar ao irmão corrompido, tem que ser. Porque ou se arrepende ou se arrepende. Não tem outra saída. Pregações de que “ninguém é perfeito e que buscar a perfeição de Deus é bobagem, porque somos pecadores” não tem cabimento nesta limpeza. Ou limpamos ou limpamos, não tem outro jeito.


E o Arão? Deixemo-lo em paz, esse vai dar conta a Deus mesmo. Naquele dia do bezerro ele não somente perdeu a autoridade moral, perdeu até seu direito de entrar na terra prometida. Não serve mais punir ele pois nunca mais esse Arão voltará a ser o mesmo. Será então o tempo do remanescente, essa reserva moral que Deus sempre tem guardado e escondido por aí, até ser necessário.
 

Moisés advogado do povo, Jesus nosso advogado


Que coisa mais linda e nobre do Moisés, depois de acabar com os pecadores flagrantes e rebeldes, melhor dizendo, os que não estavam dispostos a se arrepender, vai pedir perdão ao Senhor.

O bom advogado vai querer defender até se é possível morrer defendendo, isso que fez Moises: “Assim tornou-se Moisés ao SENHOR, e disse: Ora, este povo cometeu grande pecado fazendo para si deuses de ouro (v.31). Agora, pois, perdoa o seu pecado, se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito (v.32)”. Mas Deus é Deus e ninguém vai obrigá-lo a fazer o que ele não quer fazer, por isto nem nosso Senhor Jesus sabe a data em que Ele vai voltar. Olha a resposta de Deus: “Então disse o SENHOR a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro (v.33). 

Vai, pois, agora, conduze este povo para onde te tenho dito; eis que o meu anjo irá adiante de ti; porém no dia da minha visitação visitarei neles o seu pecado (v.34). Assim feriu o SENHOR o povo, por ter sido feito o bezerro que Arão tinha formado (v.35)”.

Jesus nosso Senhor vai nos defender sim, mas não vai defender aquele que se corrompeu e não fez nada para se arrepender e voltar a Deus.


Temos garantido nossa salvação baseados em nossas próprias convicções ou nossa salvação está fundada na misericórdia do Senhor e por isso procuramos conservá-la com temor e tremor? (Fil 2:12).
 

Pb.Pedro Arroyo

domingo, 25 de outubro de 2009

Deus odeia o pecado, mas ama ao pecador! É isso mesmo?

 Extraído de http://tempora-mores.blogspot.com

Podemos aceitar que existe um sentido genérico do amor de Deus. Ele demonstra e fala de amor ao mundo, à humanidade, à sua criação. Como calvinista, não tenho nenhuma dificuldade em aceitar isso. Temos que entender, porém, que no sentido salvífico (a salvação eterna da perdição e condenação do pecado) o amor de Deus é derramado exclusivamente sobre o seu povo e, individualmente, sobre os que ele eficazmente chama para si. Sobre aqueles que responderão, ao chamado eficaz, abraçando a Cristo como único e suficiente Salvador.

A frase "Deus odeia o pecado, mas ama ao pecador", entretanto, por mais que seja proferida e repetida, é uma forma simplista de expressar uma situação complexa, pois realmente é impossível separar o pecado do pecador, como se o pecado fosse uma entidade com vida independente, que apenas se utiliza do corpo e da mente do praticante.

Tiago (1.12-15) nos ensina que o pecado é gerado dentro das pessoas, partindo da própria concupiscência, externando sua prática em um relacionamento "simbiótico" (de dependência mútua) com o praticante. Sem barreiras e controles, enfim, sem a redenção, leva à morte.

O pecado é algo odioso em suas manifestações. Estas são verificáveis nas pessoas, pecadoras, sem as quais ele é indescritível e amorfo.

Em Romanos 9.11-18 a Bíblia fala do "aborrecimento" (ódio) de Deus contra Esaú, contrastando com o amor derramado sobre Jacó. Mas a Palavra de Deus expressa em outras ocasiões (além desse caso específico, de Esaú e Jacó) o ódio ("aborrecimento") de Deus a pecadores. Isso ocorre, porque ele é tanto JUSTIÇA como AMOR.

Por exemplo, no Salmo 11.5, lemos "O Senhor prova o justo e o ímpio; a sua alma odeia ao que ama a violência". Veja que ele não odeia somente a violência (inexistente, sem o praticante), mas "ao que ama a violência" - uma pessoa, o pecador.

Em Pv. 6.16-18 lemos sobre sete coisas que o senhor abomina (odeia): olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contenda entre irmãos. Quando lemos essa descrição das "coisas" que o Senhor odeia, vemos que elas não são especificamente "coisas", mas são pessoas que realizam certas ações; a descrição é a de pessoas que Deus abomina. Isso fica bem claro nas duas últimas "coisas" - uma pessoa, ou outra, que é: "testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos".

Não resta dúvida, portanto, que pelo menos nessas instâncias específicas Deus odeia pecadores. Consequentemente, isso deve nos fazer cautelosos de dar uma declaração genérica e abrangente de que ele não odeia pecadores, pois esse ensinamento não pode ser atribuído, dessa maneira, à Bíblia e carece de inúmeras qualificações.

Solano Portela

Outra verdade na predestinação?

 http://ossegredosdedeus.wordpress.com/

Muitos cristãos tens-se encostado numa falsa idéia da predestinação, pensando que “salvos uma vez, salvos para sempre” e não importando o comportamento deles pensam que sua salvação está garantida em Cristo. Falam que a “salvação é por graça” e pensam que o que façam, pensem o atuem não tem impacto nenhum na caminhada ao reino dos céus.

Volte sua mirada ao relato da saída do povo de Deus do Egito a terra prometida. Saíram de lá disse a narração, mais de 600 mil adultos homens. Parece que somados todos, homens mulheres e crianças faziam mais de 1 milhão. Desses adultos só entraram a terra prometida dois: Calebe e Josué. (Num 14)
Deus não tinha jurado pelo seu próprio nome, que esse povo que estava em escravidão em Egito, ia-a possuir a terra prometida? Deus não tinha predestinado a todos esse povo para serem salvos e herdeiros do Canaã?

O que foi que aconteceu para que fosse assim depois? A resposta esta no comportamento desse povo que Deus mesmo qualifica: povo rebelde e desobediente. Haveis-me tentado já dez vezes (Num 14:22). Por isso Deus condenou a morte todo esse povo predestinado a salvação?

Deus que sabia que todo isso ia a acontecer, estava então brincando com essas pessoas? Por que toda essa movimentação feita com Moises e Arão diante de farão? No haveria sido mais fácil levar só Calebe e Josué e esse povo de jovens menores de 20 anos como sucedeu finalmente?

A verdade é que Deus queria salvar o mundo todo. Porém o homem nem sempre quer ser salvo. Por isso desobedece, se rebela e até tenta matar a aqueles que falam a verdade de parte de Deus como Calebe, Josué, Moises e Arão. (Num 14:9-10).

Agora reflitamos mais um pouco em esses que parecem erros da tradição. 

Pedro Arroyo

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Dez coisas que odeio na igreja



Por Pr. Manoel D. C.

Blog do ManoelDC

————————————-

Li essa semana uma slogan bastante interessante que revela o quanto a igreja esta em baixa nos últimos tempos: ODEIO A IGREJA, NÃO JESUS!
A lista abaixo relacionada é direcionada à igreja institucional, à igreja-empresarial, ao clube de entretenimento, assim falsificada e vendida ao poder temporal. Não me refiro absolutamente à igreja verdadeira, ao remanescente fiel que muitas vezes está contido nessa igreja caricata dos nossos dias.
Compartilho aqui o sentimento de inconformação de Davi quando disse a Deus: Não aborreço eu, Senhor, os que te aborrecem? e não abomino os que se levantam contra Ti? Aborreço-os com ódio consumado, para mim são inimigos de fato.
O que eu odeia em ti, igreja dos nosso tempos?
1. A TUA PRETENSÃO OSTENSIVA de tu te veres superior a tudo e a todos, e com esse orgulho besta, deixas de ser reconhecida como voz de Deus e agência do Reino no mundo. Ao contrário, deverias te afastar pra bem longe dessa vaidade luciferiana e cair em si, voltando a servir humildemente ao mundo ao qual foste enviada.
2. QUANDO INFLEXÍVEL, IMPÕES O DETESTÁVEL LEGALISMO COMO FORMA DE CAMINHADA CRISTÃ com regras insuportáveis que mantém teus membros eternamente cativos a infantilidade na fé, ao invés de conduzi-los à maturidade cristã que alcança a essencial liberdade consciente e anda maduramente nas pegadas de Jesus de Nazaré.
3. A TUA CEGUEIRA REDUCIONISTA que não discerne claramente o Reino além de tuas limitadas fronteiras, expandindo a visão para ver e aceitar outras formas de expressão, de serviço cristão, de culto e de obras que também glorificam a Deus e contribuem para a expansão do Reino na terra.
4. A TUA FORMA DE JULGAR SUMARIAMENTE as pessoas, se são merecedoras do céu ou do inferno, como se coubesse a ti essa prerrogativa divina de seleção. Deveria tu saber que essa é uma ação exclusiva de Deus.
5. A TUA DISCIPLINA CORRETIVA que sempre exclui e joga fora todo aquele que desgraçadamente tropeça por algum motivo, levando invariavelmente o “disciplinado” ao abandono, e ferido, a morrer a míngua.
6. A TUA FORMA ANTIBÍBLICA DE EVANGELIZAR, definindo prazo de mudança para as pessoas ”aceitarem Jesus”, exigindo uma conversão urgente e superficial baseada na adequação compulsória às regras de teus usos e costumes, e não na radical soberana transformação do Espírito Santo, de dentro para fora, e no livre tempo de Deus.
7. A TUA VISÃO MISSIONÁRIA/ EVANGELÍSTICA DISTORCIDA que em nome do “ide” retira as pessoas de suas áreas de convivência na sociedade onde exerciam posições estratégicas para alcançar seus semelhantes, para mantê-los circunscritos à área do templo, transformando-os em pessoas inativas ou em obreiros alienados que desconhecem o que se passa no mundo que os rodeiam.
8. O TEU ABUSO DE PODER arrastando milhares de PESSOAS SINCERAS, frágeis, crédulas, simplórias, despreparadas e desavisadas à exaustão, ao esgotamento, ao sofrimento, à decepção, e a se sentirem absolutamente usurpadas física, emocional, material e espiritualmente. Essas pobres vítimas do teu poder abusivo se tornam amargas e refratárias para o Evangelho para sempre, fechadas para qualquer possibilidade de pensarem em Deus ou em coisas relacionadas a ti.
9. A FORMA IMORAL COM QUE TEUS LÍDERES LIDAM COM AS FINANÇAS, manipulando o dinheiro que entra em teus cofres de forma irresponsável, desonesta, revelando que são subjugados pelo deus Mamon. Reproduzes pastores que amam posição, poder, e o dinheiro, tornando-os cheios de avareza e de ganância. ISSO TEM CAUSADO GRANDES ESCÂNDALOS E DANOS IRREVERSÍVEIS PARA O EVANGELHO, E TU ÉS DIRETAMENTE RESPONSÁVEL POR ISSO!
10. E por último, odeio quando MENTES, ASSEVARANDO QUE FORA DE TI, AS PESSOAS NÃO PODEM SOBREVIVER. Saiba que existem milhões de pessoas que nunca adentraram em teus átrios e mesmo assim oram, têm temor, discernimento, maturidade, ética, moral e dignidade, muitas vezes, mais apurados que teus pobres membros pretensiosos.
Sobretudo, há uma forma difícil, dolorida, mas possível, que pode mudar radicalmente esse quadro sombrio: TENS QUE PASSAR PELO PORTAL DO ARREPENDIMENTO. Como diria Jesus, Lembra-te de onde caíste e arrepende-te…

A verdade de Jesus: 100% Deus e 100% Homem?

http://ossegredosdedeus.wordpress.com  


Jesus: 100% Deus e 100% Homem?
Nesta historia da essência de Jesus, se foi ou se é 100% Deus e 100% homem, se escondem esses velhos dilemas que os religiosos dogmáticos não querem enfrentar.
1. Deus não poderia deixar de ser Deus, nem quando veio transformado em homem? Porque se assim fosse o sistema religioso cai pelo chão. Por isso que a religião constrói explicações que confundem os simples ao ponto de aceitar essa ilógica conclusão que um único ente como Jesus Cristo tenha dupla essência nele: 100% Deus e 100% homem. Quando na verdade não existe nada no mundo que tenha 200% sendo uma unidade. Até poderia aceitar-se o jogo das porcentagens se fosse, por exemplo, 60% Deus e 40% homem. Porém não é assim.
Mas qual o perigo do jogo das porcentagens? Simplesmente porque estaríamos negando a sinceridade e transparência de Deus. Que se valendo dum artifício vantajoso brinca de Messias com o homem. Por isso esta presunção das percentagens tem indícios do anticristo que nega o sacrifício de Deus. Fala o Apóstolo João nas epístolas que escreveu que Deus amou a raça humana de tal jeito que não poupou nem a natureza superior dele no ato de amar-nos.
2. Pela tendência idólatra do ser humano. Não tem outro ser mais idolatra que o homem, que até precisa idolatrar a Jesus e ao próprio Deus, para então adorá-lo. Não pode aceitar a Deus sem ter que convertê-lo em ídolo. E para visualizar esse Deus inventa imagens reais ou virtuais. Mas imagens finalmente. Esses que Deus proíbe nos dez mandamentos.
3. Deus Emanuel. Quando Deus anuncia que se manifestaria na historia do ser humano como Emanuel isto é Deus conosco, em Jesus Cristo homem. Os homens não o aceitam. Para eles se Deus vir a salvá-los tem que vir como seria próprio dum deus: fazendo milagres e mostrando poderes sobrenaturais que ajudem a acreditar essa condição superior. Mas se ele vier como homem simples ninguém acreditaria. E assim foi.
Pela misericórdia de Deus, Ele até consentiu na possibilidade dos milagres. Por isso quando Jesus veio, Ele fez muitos sinais para ajudar na credulidade dos homens. Ate o próprio João Batista conhecedor das sagradas escrituras duvida por um instante e manda perguntar se esse Jesus era efetivamente o Messias de Deus. Misericordiosamente Jesus responde com fatos extraordinários para confirmar a fé do João.
4. Como foi que Ele fez esses milagres se não era Deus? Perguntam os religiosos. A resposta está nas historias de todos os servos que Deus teve: Por exemplo, o menor deles Sansão. Ele cumpria todas essas proezas que fez quando descia sobre ele o Espírito de Deus. Esse mesmo Espírito que desceu em forma de pomba no batismo que recebeu de João. Sem esse Espírito não tinha nada. Assim foi com todos eles.
5. Por que, os homens desta geração, também não aceitam a humanidade de Deus em Jesus? Pela religiosidade que não admite a enorme humilhação de Deus ao ponto de virar um simples homem. Um homem vai me salvar? Será a pergunta feita por estes incrédulos.
Mas é justamente esta a evidencia da nossa salvação. Porque amar esse Filho do homem a través do amor ao próximo que vive junto conosco é o maior reto da nossa Fe. Mais escândalo ainda: esse Filho do homem é finalmente o protagonista da nossa salvação que repete para nos: “eu sou o caminho”. Quer disser eu sou o modelo a imitar.
6. Para poder entender estas verdades vem a socorrer-nos a própria palavra de Deus que expressada através do Apóstolo Paulo nos disse em Fil 2:6-10 “Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, 7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; 8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. 9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; 10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,”
7. Jesus efetivamente era Deus antes de entrar no mundo. E ainda que ele conservasse, vamos a dizer alguns genes divinos e que poderia apelar para sua natureza divina legitimamente, dize à escritura que Ele não usurpou. (Porque Deus tinha retirado essa potestade dele). Então sendo ele Deus. Foi ele que fez uma renuncia voluntaria desse direito: “mas esvaziou-se a si mesmo”. Logo vem essa transformação em homem da classe mais simples: servo.
8. Ele conquistou nossa salvação nessa condição de homem. Foi difícil para Jesus O Filho de Deus? A sagrada escritura disse: “humilhou-se a si mesmo.” Jesus era ciente do que estava acontecendo, do que estava protagonizando e ainda que pudesse revoltar-se, (Ante a sugestão do Pedro de acabar com esses imundos imperialistas romanos pela violência da espada, Jesus disse não é assim, porque se assim fosse ele bem poderia apelar sua condição de Filho de Deus para pedir doze legiões de anjos Mat. 26:52-53). Mas justamente optou pelo caminho da obediência e submissão, o caminho da humildade. Porque esses poderes que Ele podia exercer não eram, agora direito dele, mas os podia usar sendo concedidos pela presença do Espírito Santo nele. Nesse momento o nexo entre Deus Pai e Ele, Deus Filho, e justamente e unicamente Deus Espírito Santo. Se quiser conservar esse dogma da trindade também.
9. Quando é que Jesus volta a ser Deus? A sagrada escritura disse: “obediente até a morte”. Logo após da morte e pela ressurreição executada nele por Deus Pai. Logo da vitoria de Jesus sobre a morte e sobre o que produze a morte: o pecado (1Co 15:56), é que ele recupera sua natureza divina. Jesus referindo-se disto disse “mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33) venceu o que? A natureza humana pecaminosa que sempre se rebela contra Deus! Agora ele tendo conquistado essa vitoria a compartilha conosco convidando-nos seu triunfo pelo jugo que oferece para nos (Mat 11:29-30). Nisto radica outro mistério da salvação.
10. Agora Jesus espera, apoiado na direita de Deus Pai, o dia glorioso de seu retorno. Entre tanto Deus acaba com esses inimigos do seu filho. “Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.” (Sal. 110:1) Esses inimigos que negam que o homem pode ser libertado da escravidão do pecado como Jesus nosso Senhor o conseguiu, sendo humano mesmo. Esses inimigos, disse o apostolo João, são os anticristos. Ou segundo apostolo Paulo, inimigos da cruz de Cristo.
11. Não foi por acaso que ele disse: “Eu sou o caminho...” efetivamente ele é o modelo para obter nossa salvação. Se ele o conseguiu, então também nos. Obviamente não pelos nossos caminhos senão pelo caminho dele, só assegurados no jugo dele. Esse jugo de humildade, mansidão, obediência, submissão e amor ao Pai. Estes que são a evidencia da presença do Espírito de Deus em nossa humanidade.
Da para aprofundar estas reflexões? Façamos então.

Pedro Arroyo

terça-feira, 20 de outubro de 2009

UM GEZUIS EXTREMAMENTE FAMILIAR...




Por Hermes C. Fernandes

Genizah


Nasceu no Palácio de Herodes em Jerusalém, centro do poder judaico. Veio para o que era seu, e os seus o receberam, e com muitas pompas!

Aos doze anos já discutia novas rotas comerciais e estratégias de conquista com os conselheiros reais.

Seu primeiro milagre aconteceu num pomposo casamento na realeza. Transformou a água em suco de caju, não por haver faltado bebida na festa, mas apenas para dar uma gorjeta do seu poder. Poderia tê-la transformada em vinho, vodka, ou até whisky, se quisesse. Mas preferiu não escandalizar a ala mais conservadora e fundamentalista dos religiosos.

Aos 30 anos, foi batizado na piscina da cobertura do palácio, por um dos profetas badalados da época. Enquanto descia às águas, viu-se uma águia, símbolo de conquista, sobrevoar sua cabeça, e uma voz que bradou de algum lugar: Este é o cara! Vai e arrasa!

Saiu dali e foi para uma região praiana, tirar quarenta dias de férias antecipadas. Não precisou ser tentado em nada, pois nunca se negou bem algum. Transformou pedras em pizza, só pra se divertir. E ainda fez malabarismo no pináculo do templo, pra tirar uma onda com os sacerdotes. No final das férias, subiu um monte bem alto, avistou os reinos deste mundo e disse pra si mesmo: Tudo isso me darei!

Quando aproximado por algum gentio, do tipo daquele centurião que tinha um servo enfermo, dizia-lhe: Dá um tempo! Não vim pra vocês, seus impuros, idólatras e ignorantes. E mais: Nunca vi tanta petulância! Onde já se viu? Pedir por um serviçal! Além de gentio, é burro!

Ao deparar-se com um cobrador de impostos desonesto, que subira numa árvore só pra lhe ver, Gezuis lhe disse: Como é que é, meu irmão! Vamos ou não vamos dividir esta grana? Desce logo, que tô com pressa! Hoje me convém me hospedar no melhor hotel da região.

Ao ser tocado por uma mulher hemorrágica, esbravejou: Tira essa louca daqui! Não sabe que a Lei proíbe qualquer aproximação de uma pessoa em seu estado? Imunda!

Por onde passava, seus discípulos estendiam um cordão de isolamento, para que leprosos, morféticos, cegos, endemoninhados, e todo tipo de gente asquerosa não ousassem se aproximar do Rei da cocada preta.

Diferente era o trato que dispensava aos fariseus e religiosos da época.

Venham a mim, todos os que querem alguma vantagem da religião. Vocês serão cabeça e não cauda. Comerão o melhor da terra! Unam-se a mim, e eu lhes farei milionários. Aprendam comigo, que sou malandro e esperto de coração. Espertos são os que riem da desgraça alheia. Espertos são os que gostam de ver o circo pegar fogo. Espertos são os que têm fome e sede de sucesso. Eu saciarei seu ego!

Quando procurado por um jovem rico, disse-lhe, sem o menor pudor: Quer sociedade? Vamos rachar esta grana? Vai ter um lugar especial no meu reino, garoto…

E quando entrou em Jerusalém montado naquele exuberante corcel branco 0 km? Foi tremendo! Não tinha pra ninguém!

- Cruz? Que cruz? Tá doido? Cruz é pra gente como Jesus, aquele nazareno nascido numa manjedoura. Eu vim pra ter vida, e vida com abundância. Quem quiser vir após mim, passa tudo o que tem pra minha conta, e me siga. Ou tudo ou nada! Ou dá ou desce!

Revolucionário? Que nada! Graças a um conchavo político feito às escuras com o Império Romano, Gezuis garantiu para si a sucessão de Herodes, e viveu muitos e muitos anos.

Ao morrer, farto de dias, Gezuis confiou seu legado a um grupo de discípulos seletos, que juraram que sua mensagem jamais seria esquecida, e que ao longo dos séculos, sempre haveria quem a promovesse em sua própria geração. Partiu ordenando que cada um dos seus discípulos lhe beijasse os pés, em sinal de submissão. E que aprendessem a se servir uns dos outros, e ainda se servir dos poderes constituídos, sem jamais criticá-los ou censurá-los.

Promessa feita, promessa cumprida.

Basta ligar a TV, o rádio, ou mesmo acessar a internet, para se dar conta de quantos discípulos de Gezuis ainda dão eco à sua voz.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Estamos Prontos? - Contra Correnteza

Para baixar:

Estamos Prontos? - Contra Correnteza


Hoje muitos fazem coisas que afrontam ao nosso Senhor
Outros são enganados por esquecer o que é o amor

Jesus está acima de palavras,
é a expressão pura do amor de Deus
Um amor que não devemos só falar, mas praticar...

Hoje muitos declaram coisas que ofendem ao nosso Senhor
Não há cuidado ao ser usado o nome de Jesus

O amor não se define por palavras,
É uma ação que dia-a-dia aprendemos com Deus.
A qual não devemos só falar, mas praticar...

Seja o seu agir ou o seu falar,
siga somente o que Deus mandar

Sua vinda está próxima vamos acordar
Será que a Igreja está pronta pra ela?...

Procura apresentar-se a Deus aprovado,
como obreiro que não tem do que se envergonhar

O que estamos fazendo pelo nosso irmão?

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

COMO ZAQUEU?

Por Pr. Ciro Sanches Zibordi
http://cirozibordi.blogspot.com/
zacchaeus-in-a-tree
Alguns internautas têm me instigado a analisar a composição “Faz um milagre em mim”. Eu vinha evitando fazer isso, a fim de não provocar a ira dos fãs do cantor que interpreta esse hit “evangélico”. Afinal, vivemos em uma época em que dar uma opinião à luz da Bíblia desperta a fúria daqueles que dizem ser servos de Deus, mas são, na verdade, fãs, fanáticos e cristãos nominais.

Resolvi, pois, atender os irmãos que desejam obter um esclarecimento quanto ao conteúdo da canção mais cantada pelo povo evangélico na atualidade, a qual começa assim: “Como Zaqueu, eu quero subir o mais alto que eu puder”.

Primeira pergunta para reflexão: Zaqueu, quando subiu na figueira, era um seguidor de Jesus, um verdadeiro adorador? Não. Ele era um chefe dos publicanos, desobediente a Deus e corrupto (Lc 19.1-10). Nesse caso, como um crente em Jesus Cristo, liberto do poder do pecado, pode ainda desejar ser como Zaqueu, antes de seu maravilhoso encontro com Jesus?

Segunda pergunta para reflexão: Por que Zaqueu subiu naquela árvore? Ele estava sedento por salvação? Queria, naquele momento, ter comunhão com Jesus? Não. A Palavra de Deus afirma: “E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um varão chamado Zaqueu; e era este chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (Lc 19.1-3). Ele não subiu na figueira porque estava desejoso de ter comunhão com Jesus, mas porque estava curioso para vê-lo.

Terceira pergunta para reflexão: O verdadeiro adorador deve agir como Zaqueu, ou como o salmista, que, ao demonstrar o seu desejo de estar na presença de Deus, afirmou: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” (Sl 42.1,2)? Será que o pecador e enganador Zaqueu tinha a mesma sede do salmista? Por que um verdadeiro adorador desejaria ser como Zaqueu?

Mas o hit “evangélico” continua: “Só pra te ver, olhar para ti e chamar sua atenção para mim”. Outra pergunta para reflexão: Será que precisamos subir o mais alto que pudermos para chamar a atenção do Senhor? Zaqueu, segundo a Bíblia, subiu na figueira por curiosidade. Mas Jesus, olhando para cima, lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Observe que não foi Zaqueu quem chamou a atenção de Jesus. Foi o Senhor quem olhou para cima e viu aquele pecador perdido e atentou para ele (cf. Mt 9.36).

A atitude de Zaqueu que nos serve de exemplo não foi o subir, e sim o descer, para atender o chamamento de Jesus: “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o gostoso” (Lc 19.6). Por conseguinte, pergunto: O adorador, salvo, transformado, precisa subir para chamar a atenção de Jesus? Não. Na verdade, o Senhor está com o contrito e abatido de espírito (Is 57.15). Espiritualmente falando, Ele atenta para quem desce, e não para quem sobe (Sl 138.6; Lc 3.30).

Mais uma pergunta para reflexão: Se a atitude que realmente recebe destaque, na história de Zaqueu, foi a sua descida, por que a canção enfatiza a sua subida? O mais lógico não seria cantar “Como Zaqueu, eu quero descer”? Reflitamos. Afinal, como diz uma frase que circula na grande rede, o Senhor Jesus morreu para tirar os nossos pecados, e não a nossa inteligência.

A composição não é de todo condenável, pois o adorador que se preza deve mesmo cantar: “Eu preciso de ti, Senhor. Eu preciso de ti, ó Pai. Sou pequeno demais, me dá a tua paz”. Mas, a frase seguinte provoca outra pergunta para reflexão: “Largo tudo pra te seguir”. Estamos mesmo dispostos a largar tudo para seguirmos ao Senhor? E mais: É preciso mesmo largar tudo para segui-lo?

O que o Senhor Jesus nos ensina, em sua Palavra? Em Mateus 16.24, Ele disse: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. Renunciar não é, necessariamente, abandonar, largar, mas pôr em segundo plano. A própria família pode ser um obstáculo para um adorador. Deve ele, nesse caso, largá-la, abandoná-la? Claro que não! Renúncia equivale a priorizar uma coisa em detrimento de outra.

Não precisamos largar a família, o emprego, etc. para seguir o Senhor! Mas precisamos considerar essas coisas secundárias ante a relevância de priorizar a comunhão com Jesus (Mt 10.27). Nesta última passagem vemos que o adorador deve amar prioritariamente o Senhor Jesus, mas sem abandonar tudo para segui-lo! Não confundamos renúncia com abandono. O que devemos largar para seguir a Jesus é a vida de pecado, e não tudo.

A canção continua: “Entra na minha casa. Entra na minha vida”. O compositor se refere a Zaqueu, mas não foi este quem convidou o Senhor para entrar em sua casa. Na verdade, foi Jesus quem lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Nota-se, pois, que esta parte da canção não é essencialmente cristocêntrica, e sim antropocêntrica. Mais uma pergunta para reflexão: O hit em apreço prioriza a obra que Jesus faz na vida do pecador, ou dá mais atenção ao que o homem, o ser humano, faz para conseguir o que deseja? A canção enfatiza a Ajuda do Alto, ou a autoajuda?

Outra pergunta: Um verdadeiro adorador, um servo de Deus, alguém que louva a Jesus de verdade, que canta louvores ao seu nome, não é ainda uma habitação do Senhor? Por que pedir a Ele que entre em nossa casa e em nossa vida, se já somos moradas de Deus (Jo 14.23; 1 Co 6.19,20)?

A parte mais contestada da composição em apreço sinceramente não me incomoda muito: “Mexe com minha estrutura. Sara todas as feridas”. Que estrutura seria essa? No Salmo 103.14 está escrito: “… ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”. Deus, é claro, conhece-nos profundamente. Ele conhece a totalidade do ser humano: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23; Hb 4.12). Creio que o compositor tomou como base o que aconteceu com Zaqueu. O seu encontro com o Senhor mudou a sua vida por completo, “mexeu com a sua estrutura” (Lc 19.7-10). Deus faz isso na vida do pecador, no momento da conversão, e continua a transformar os salvos, a cada dia (2 Co 3.18).

Quanto a sarar feridas, o Senhor Jesus de fato nos cura interiormente. Mas não pense que estou aqui defendendo a falsa cura interior, associada a regressão psicológica, maldição hereditária, etc. Não! O Senhor Jesus, mediante a Palavra de Deus e a ação do Espírito Santo, cura os quebrantados do coração, dando-lhes uma nova vida (Lc 4.18; 2 Co 5.17).

Diz ainda a canção: “Me ensina a ter santidade. Quero amar somente a ti. Porque o Senhor é o meu bem maior”. Sendo honesto e retendo o que é bom na composição (1 Ts 5.21), Deus, a cada dia, nos ensina a ser santos, em sua Palavra (Hb 12.14; 1 Pe 1.15-25). Além disso, Ele é, sem dúvidas, o que temos de mais precioso mesmo e, por isso, devemos amá-lo acima de todas as coisas (2 Co 4.7; Lc 10.27).

Quanto à última frase “Faz um milagre em mim”, o compositor comete o mesmo erro de português constante da campanha de publicidade da Embratel: “Faz um 21”. Na verdade, no caso da canção o correto seria: “Faze um milagre em mim”. E, no caso da Embratel: “Faça um 21”. (…)

Diante do exposto, que os pecadores, à semelhança de Zaqueu, desçam, humilhem-se, a fim de receberem a gloriosa salvação em Cristo (Lc 18.9-14). E quanto a nós, os salvos, os verdadeiros adoradores, em vez de subirmos o mais alto que pudermos, que também desçamos a cada dia, humilhando-nos debaixo da potente mão de Deus (1 Pe 5.6), a fim de que Ele nos ouça e nos abençoe (2 Cr 7.14,15).”

————————————————————————–
Comentário de Renatim::
Pois é, essa música tá sendo cantada até na Parada Gay de São Paulo e esse povo “crente” não percebe nada! Será que estamos tão cegos assim?
Desde quando uma música cristã é cantada nesse mundão afora? Somente se ela não for cristã!
Bem que eu já desconfiava…
Pra mim, essa música deveria ser cantada assim:
Como Zaqueu, eu quero ser rico…
É triste…

sábado, 26 de setembro de 2009

A SEDUÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Por Rubinho Pirola

Voltei de uma viagem à America que, dentre outras coisas, só confirmou o que já percebia: a grande religião, a que mais cresce em toda a terra, está pior e mais ativa que nunca.
E mais: Só ela pode vencer a ameaça muçulmana que paira sobre o futuro próximo da Europa e que apavora, tanto políticos como a nós cristãos.
Ela também é a que mais cresce, ainda mais que o Evangelho na America Latina – Brasil inclusive.
Assustadoramente, ganha adeptos não só entre cristãos, muçulmanos, hindús, como os de todas as outras fés ou confissões.
Uma religião que tem esterelizados casais, dimuindo-lhes o número de filhos, ao passar-lhes a ideia que as crianças são mais impedimentos ou perturbações do que dádivas divinas ou “heranças do Senhor”; também faz com que se adiem casamentos, celebrando-os cada vez mais tarde para viabilizarem carreiras e realizações profissionais ou acadêmicas, crescimento social ou mesmo, nem chegam a fazê-lo, aumentando entre nós o número de solteiros e gente solitária que desejam crescer nessa fé com obstinada perseverança, sem vermos diminuídos em nós o ritmo e a paixão rumo aos seus “iluminados galardões”.
Por essa mentalidade de devoção, deixamos de hospedar, de socorrer, de cuidarmos dos interesses dos outros que não nós mesmos e, bem devagar, sutilmente, essa fé vai ocupando lugar nas mentes e corações. Sem que oficialmente mudemos de lado, vamos erigindo os seus altares.
Por essa crença, também negocia-se as consciências, noites de sono inocente, pelo peso, cada dia tornado menor à custa de entorpecentes possessões e conquistas.
Ela cresce ligeiro por todo canto e toma gente que corria com fidelidade dentro das nossas fileiras, perverte líderes, gente grande, gente pequena, pastores e pregadores de púlpito, de televisão, de rádio… que, outrora, eram fiéis às verdades bíblicas e delas, eram defensores corrompendo-as (e aos que os ouvem sem cuidados!) numa adulteração quase sempre à conta-gotas.
Está por trás da política, dos meios de comunicação de massa e até dos templos. E inspira famosos ou anônimos criminosos.
Não há hoje – podem analisar as pesquisas – religião que mais cresce de norte a sul como aquela que serve ao deus deste século: Mamon, nome aramaico para dinheiro, riqueza, opulência.
Para vencer qualquer fé ou consciência, basta acrescentar-se-lhe pouco a pouco as suas “bênçãos” ao pobre crente, repito – muçulmano (radical ou nominal), hinú, budista, espírita, cristão – evangélico, protestante, pentecostal, católico romano, ortodoxo,… e veremos o seu poder.
Fiquem espertos. E saiam dela, povo de Deus!
“Porque todas as nações têm bebido do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. Ouvi outra voz do céu dizer: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas.” Ap 18: 3,4

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

SUICÍDIO INTELECTUAL

Por Edson Moura

http://outroevangelho.blogspot.com/


O mal maior que a “teologia da prosperidade” pode causar num cristão é o “suicídio intelectual”, por quê?

Ora! Se uma pessoa crê piamente que se tomar banho com alguns tipos de ervas e folhas que o seu “pastor” recomendou, vai curá-la de determinada enfermidade ou livrá-la de espíritos opressores, ou mais, trazer-lhe prosperidade financeira, essa pessoa está obviamente anulando sua capacidade de raciocínio (suicídio intelectual).

Vou mais além

Este episódio aconteceu comigo, eu não li, eu não ouvi alguém contar, eu estava lá e presenciei o fato que vou narrar:

A igreja era uma dessas que tem “Reino de Deus” no nome, mas existe um abismo enorme que a separa deste “Reino”. Pois bem! A mulher estava angustiada porque seu filho estava preso (devo deixar subentendido que o rapaz cometeu delitos e fora pego em flagrante), então ela estava com o dinheiro que iria pagar ao advogado para tentar libertá-lo. Foi quando eu ouvi a voz do “pa$tor”, que estava com um martelo de juiz em uma das mãos e vestido à caráter, dizendo:

- Pega esse dinheiro que você vai dar ao advogado e faça um voto com Deus, pois Jesus é seu advogado e ele vai interceder junto ao Senhor, que irá julgar a sua causa, e você sairá vitoriosa!

Vamos ao absurdo

Deus é justo! Então Ele julga com imparcialidade, certo?! E como é que Ele vai livrar da punição uma pessoa que cometeu delitos graves, foi presa e confessou os crimes? Ele pode até julgar a causa (eu não discordo disso), mas dar “causa ganha” eu acho difícil.

Mas o pior é que a mulher (pobre alma) deu todo o dinheiro que tinha naquele momento. Será que ela parou pra PENSAR? A resposta é simples: Não! (suicídio intelectual)

Infelizmente isso vem acontecendo em boa parte das igrejas evangélicas do Brasil e do mundo. “Falsos pastore$” que não passam de mercenários, enganando meus irmãos e conduzindo-os à morte espiritual, porque pessoas como essa mulher, que fazem certos tipos de “votos” e não alcançam a “benção”, acabam frustrados a tal ponto, que não querem mais saber de Deus (como se Deus tivesse culpa). E o argumento desses BANDIDOS é que a pessoa (vítima) não teve fé suficiente, ou está em pecado, ou usam o chavão: “Deus sabe o que faz” (ou seja, botam a culpa em Deus)

Vamos acordar irmãos! Devemos servir a Deus, não pelo que Ele pode nos dar, mas sim pelo que Ele é, e pelo que Ele já nos deu (seu filho Jesus o Cristo, como nosso único e suficiente salvador). Busquemos a Jesus que é nosso alvo, e como conseqüência dessa busca teremos a salvação, mas salvação para vivermos com Deus eternamente, não salvação das dívidas (que você mesmo fez).

Vamos clamar por RESTITUIÇÃO, mas não essa restituição que nós ouvimos em alguns louvores (louvores?) de sucesso no meio go$pel. Musicas que mais parecem ORDENS a Deus (...Restitui! eu quero de volta o que é meu!...). Não irmãos! A restituição que nós devemos almejar e buscar com afinco é aquela ANTIGA fé dos apóstolos, aquele amor fraternal que existia na igreja primitiva, e que nos foi ROUBADO pelo descaso com que nos ensinaram a “crer” em Deus.

A restituição do temor e da reverência a Deus! A restituição do entendimento e da consciência de que Deus nos observa todo o tempo (lembre-se de Jó)

Crer também é Pensar irmãos, e Deus quer que nós pensemos e arrazoemos com Ele.

“Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como carmesim, se tornarão como a branca lã.” (Isaías 1-18)

Alguns pregadores da “teologia da prosperidade” desprezam o papel da razão no desenvolvimento da fé cristã, afirmando que ela desvia o cristão da espiritualidade. Vemos no texto de Isaías que o próprio Deus chama o povo à razão. Sem dúvida, Deus demonstra que a razão é importante para o cristão. No versículo em estudo, a palavra Hebraica para razão (yakah) é um termo jurídico muito utilizado para discutir questões. Cada uma das partes apresenta evidências convincentes, produzindo argumentos conclusivos que davam testemunho dos fatos.

No direito português, uma pessoa é constituída como arguida, um termo jurídico que não existe em muitas outras jurisdições no estrangeiro, quando recaem sobre si indícios de ter cometido um delito.

Só pra você entender

Uma pessoa pode solicitar ser "arguida" porque se beneficia de direitos que não tem como testemunha. Além da obrigatoriedade de ser acompanhado por um advogado nas suas declarações ante a autoridade policial, o que não sucede com as testemunhas, um arguido tem direito a não se pronunciar, negando-se a responder a perguntas já que com potencial suspeito age em sua própria defesa, e como testemunha estaria obrigado a responder a todas as perguntas.

No momento em que uma pessoa é constituída como arguido num processo de investigação, fase na qual se recolhem provas ou indícios para posteriormente formular uma acusação, terá que se lhe aplicar o "termo de identidade e residência" como medida de coacção mínima, o que se traduz numa espécie de liberdade condicional na qual o arguido é obrigado a informar as autoridades policiais no caso de ter que se ausentar mais de cinco dias. Um arguido pode ser sujeito também a outras medidas de coacção, a mais gravosa sendo a "prisão preventiva", especialmente aplicada quando haja perigo de fuga.

Quando Deus criou o homem à sua imagem (Genesis 1:26-27), certamente incluiu a capacidade da razão.

“Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo teu ENTENDIMENTO, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento” (Marcos 12:30 mas leia o capítulo completo)

Sejam como os Judeus de Beréia (Atos 17:11), recebam a palavra de Deus de bom grado, mas examinem se as coisas são assim mesmo nas Escrituras.

“O que faz o mundo se mover não são as respostas e sim as perguntas”



Funk Gospel: o fundo do poço?

Por Pr. Renato Vargens
http://renatovargens.blogspot.com



A denominada música gospel me causa arrepios. Confesso que não suporto mais ouvir tanto bobagem. Se não bastasse isso, eis que surge retumbante neste país tupiniquim o funk gospel. Infelizmente esse ritmo famigerado que tem sido incentivador da promiscuidade e violência nas grandes cidades, agora é evangélico. Para piorar a situação as músicas tocadas além de antropocêntricas, afrontam o bom senso, disseminando no povo de Deus conceitos antibíblicos e anticristãos. Além disso, as letras são extremamente burrificadas, além obviamente de afrontar o vernáculo.

Veja por exemplo essa “pérola” composta por Adriano Gospel Funk:

“Pras irmã e pros irmão
Que curte o som pancadão
Eu mando assim ó:
Vem pro gospel funk
Pra se divertir Com Jesus no coração
Você vai ser feliz então,
vem pro gospel funk
Pra se divertir Com Jesus no coração
Você vai ser feliz então pula e agora dança
A juventude, os adultos, os coroa e as crianças,
então pula e agora dança
A juventude, os adultos, os coroa e as crianças,
então pula e agora dança
A juventude, os adultos, os coroa e as crianças,
Ajuventude, os adultos, os coroa e as crianças,
Vem pro gospel funk pra se divertir...”


Pois é, confesso que ao ouvir essa coisa horrorosa fui tomado por um pavoroso sentimento de desespero. Francamente, pare, pense e responda: Isto é música? Por favor, seja sincero e responda: Isso significa louvar a Deus? Ah que saudade da boa música, ministrada, cantada, com unção, cuja melodia e letra eram inspiradas pelo Espírito do Senhor.

Definitivamente parece que nos últimos anos, a igreja de Cristo se perdeu no caminho em direção ao trono do Altíssimo. Sem sombra de dúvidas a coisa está feia!

Que o Senhor nosso Deus tenha misericórdia do seu povo e nos reconduza a sala do trono e que lá possamos adorá-lo integralmente entendendo assim, que a glória, o louvor, a soberania pertence exclusivamente a Ele.

Pense nisso!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

OS CANTORES GOSPEL, SEUS CACHÊS E A VERGONHA DO EVANGELHO

Por Pr. Renato Vargens
renatovargens.blogspot.com

Há pouco eu estava assistindo na Rede Record de Televisão, o programa “Geraldo Brasil” onde inúmeros cantores gospel estavam reunidos. Em meio a muita cantoria, um deles afirmou que Deus mudou as suas vidas transformando-os poderosamente. Contudo, ao serem questionados sobre seus shows, todos foram unânimes em concordar que o que fazem é servir a Deus com os seus dons e ministérios. Ora, vamos combinar uma coisa? Se esses caras tivessem se convertido as suas vidas não teriam mudado? E Carla Peres? Se tivesse encontrado ao Senhor continuaria dançando no carnaval? E quantos aos cachês? Continuariam sendo cobrados em valores exorbitantes?

Caro amigo, infelizmente em nome de Deus os denominados cantores gospel tem cobrado o olho da cara. Alguns destes possuem a pachorra de cobrar R$ 40.000,00 por show. Ora, isso é uma verdadeira aberração! Em um país de gente miserável e pobre, a igreja em vez de saciar a fome daqueles que anseiam por justiça e comida, comercializa a fé?

Sinceramente esses cantores que se dizem vocacionados deveriam abrir mão dos cachês nababescos e viver como qualquer servo de Deus. É bem possível que ao ler a esta afirmação talvez você esteja pensado com seus botões: “Há, mais eles precisam viver, é certo que recebam!” Claro que é justo que recebam uma oferta como qualquer ministro cristão, todavia, existe uma diferença significativa entre receber uma oferta e cobrar milhares de reais por apresentação. Se não bastasse isso, tais cantores se locupletam de uma glória que não lhes pertencem, tomando para si a honra que pertence ao Senhor das nossas vidas.

Pois é, esta historia de artista gospel é uma verdadeira vergonha. Afirmar que seus shows fazem parte de um ministério cristão é no mínimo afrontar o conceito bíblico de serviço. Isto posto, repudio veementemente os que em nome Deus se locupletam da fé publica cobrando valores imorais por seus shows e apresentações.

Que Deus tenha misericórdia desta geração!

———————————————————————————–

Comentário de Renatim:

Pois é, e tem gente que acha que esses caras ainda são homens de Deus…

É triste mesmo…

Acorda igreja!

O CRISTÃO E AS SOCIEDADES SECRETAS

Por Renato A. O. de Andrade
MaçonariaMaçonaria, Illuminati, Rosacruz, Ku Kux Klan, Skull and Bones, Priorado de Sião, Agartha, Ordem dos Jesuítas, Cavaleiros Templários, Ordem Hermética da Alvorada Dourada, Sociedade Teosófica, Sociedade de Thule, Irmandade da Morte, Opus Dei, Clube Bildeberg… As sociedades secretas sempre estiveram presentes no mundo, desde os tempos da antiga Babilônia até hoje. Algumas são reais, outras lendárias, algumas históricas, outras apenas existem nas tradições orais passadas de geração a geração, algumas são visíveis, outras se ocultam na escuridão do mundo subterrâneo. Mas o fato é que as sociedades secretas sempre exerceram um fascínio na mente humana. Seus supostos poderes para controlar o mundo e moldá-lo ao seu bem querer, tem servido de inspiração para diversas teorias conspiratórias. Ainda que a maioria das coisas que se falam por aí sobre esses grupos sejam pura bobagem, muita coisa é verdade, talvez até mais do que gostaríamos…
Mas o fato é que tods as sociedades secretas tem um denominador comum: suas reuniões são secretas ou no máximo, semiabertas. Mas ninguém sai de lá falando o que houve nessas reuniões publicamente. E aí é que começam os primeiros problemas.
Muitos dos que se consideram cristãos, seja qual for a denominação, são membros ativos de alguns desses grupos. E ainda dizem que não tem problema, que conseguem conciliar o cristianismo com tais sociedades. Grande parte do cristãos que frequentam sociedades secretas são membros da Maçonaria, sociedade aparentemente derivada dos Cavaleiros Templários, uma ordem da Igreja Católica na Idade Média. Como meu objetivo aqui não é tratar exclusivamente da Maçonaria, mas dá uma revisão geral na questão da permissão ou não ao cristão genuíno de participar de uma sociedade secreta, não vou falar das coisas que supostamente ocorrem dentro da Maçonaria. Vamos ver o ensinamento comum a todas as sociedades para assim recorrermos aos ensinos bíblicos.
O CARÁTER SECRETO DAS REUNIÕES
Umas perguntas muito interessantes a serem feitas à alguém que participe dessas sociedades é: porque as reuniões sao secretas? Se essas sociedades visam somente o bem da humanidade, então porque a comunidade não pode ver? E, porque somente poucas pessoas podem participar?
Alguns podem pensar que acontecem de tudo nessas reuniões, desde orgias até sacrificios humanos. É fato que alguns desses grupos compactuam com essas ações, mas nem todos fazem isso, não diretamente. Alguns conceitos são tão escondidos que se passam inperceptíveis pelos olhos dos “profanos”. Isso ocorre porque estão escondidos em símbolos simples, mas com um significado profundo para os adeptos. Inclusive alguns símbolos somente são desvendados aos inciados de graus mais elevados. Mas o que realmente ocorre, principalmente em ordens de cunho filosófico e político, como a Maçonaria, o Clube Bildeberg e os Illuminati, é a ilusão da decisão do destino político do mundo. Ilusão, porque na verdade todas as coisas estão dentro da vontade permissiva de Deus, o verdadeiro controlador e imperador do mundo.
Devido ao caráter secreto, os que verdadeiramente professam a fé cristã não podem particpar desses grupos. Pelo contrário, nossa vida deve ser um livro aberto, e tudo o que fizermos deverá ser levado à luz, já que somos filhos de Deus por adoção em Cristo. Isso o próprio Jesus Cristo afirma em João 18:20: “Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu sempre ensinei nas sinagogas e no templo, onde todos os judeus se congregam, e nada falei em oculto”. Jesus também adverte que tudo o que está oculto será revelado, portanto não adianta correr!
“Mas nada há encoberto, que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser conhecido. Porquanto tudo o que em trevas dissestes, à luz será ouvido; e o que falaste ao ouvido no gabinete, dos eirados será apregoado.” – Lucas 12: 2-3

Ora, se queremos o bem para a humanidade, se queremos transformar a sociedade em um lugar melhor, devemos fazer isso tudo na luz! Como está escrito:
“Ninguém, depois de acender uma candeia, a põe em lugar oculto, nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz.” – Lucas 11: 33
Por mais que proeminentes cristãos tenham ou são membros de sociedades secretas (como Billy Grahan, membro de mais alto escalão da Maçonaria), isso não nos dá o direito de seguir os passos desses falos seguidores de Cristo.
O apóstolo Paulo, que era ex-fariseu, ex-Mestre de Israel, conhecia de perto as conspirações secretas dos fariseus, que também eram uma sociedade secreta, pois ele mesmo fazia isso. E diz em sua carta aos Efésios:
“E não vos associeis às obras infrutuosas das trevas, antes, porém, condenai-as; porque as coisas feitas por eles em oculto, até o dizê-las é vergonhoso.” – Efésios 5: 11 – 12
Por fim, pense e reflita: pra quê eu tenho que fazer algo em oculto, em secreto, se vai ser benéfico para toda a humanidade?
O CARÁTER ECUMÊNICO
As sociedades secretas são em geral, ecumênicas. O ecumenismo é uma filosofia que diz basicamente que todos os caminhos religiosos levam à Deus. E, partindo desse pressuposto, todas as religiões devem se unir, afim de formarem uma só comunidade, em prol do amor. Tudo muito bonito à primeira vista. Respeito, convivo e até concordo com alguns pontos de muitas religiões, mas não posso concordar com a idéia do ecumenismo. Eu poderia escrever aqui uma centena de coisas sobre isso, mas vou relatar apenas os problemas mais importantes:
1 – O ecumenismo diz que todas as religiões levam a Deus. Partindo desse pressuposto, como ficaria a união entre os islâmicos (monoteístas ao extremo) e o hinduísmo (politeísta ao extremo, com mais de 15 mil deuses)? Como terá união em uma matemática tão absurda? Ora, que deus é esse então, que exige sacrifícios humanos em uma religião, orgias e poligamia de outra, guerras de outra, e se contradiz ao afirmar no cristianismo que não quer sacrifícios, que a vida humana vale mais que toda a criação, que devemos ter amor uns aos outros e nos manter puros até o casamento, e que abomina o adultério e a poligamia? Seria esse deus confuso?
E porque Jesus, o Filho de Deus disse “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14: 6) se, partindo do pressuposto ecumênico, todos os caminhos levam a Deus?
2 – O ecumenismo também diz que todos os livros sagrados são inspirados pelo mesmo deus, tanto que a Maçonaria em sua cerimônia de iniciação tem um livro sagrado aberto dependendo da região onde está. Se assim é, então porque temos contradições entre a Bíblia e todos os outros livros? Os Tri-Pitakas, os Vedas, o Alcorão estão em total contradição com a Bíblia. E a Bíblia também é o livro mais atacado por todos os lados. Os ateus não procuram contradições no Alcorão, nem nos Vedas. O homem, juntamente com o diabo, tem tentado através de todos os séculso ddeturpar a Palavra de Deus, afim de acabar com a mensagem maravilhosa da salvação em Cristo Jesus, mas não consegue. Pegue qualquer Bíblia de qualquer versão e verá sempre a mesma coisa, ainda que esteja com o sentido enfraquecido: Deus enviou seu Filho ao mundo para salvar a humanidade da condenação eterna!
3 – O ecumenismo diz que as religiões devem se unir pelo amor. A bíblia enfaticamente diz que não há comunhão entre as religiões e o cristianismo, até porque o cristianismo verdadeiro não se resume em religião. Veja o que Paulo diz sobre essas uniões:
“Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. ” – 2 Coríntios 6: 15 – 16
Não há como seguir a Cristo e a Belial ao mesmo tempo! Eles são mutuamente exclusivos! Ou é um, ou é outro. Dois corpos não podem estar ocupando o mesmo lugar no mesmo espaço!
“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” – Mateus 6:24
O CARÁTER RELIGIOSO
Todas as sociedades secretas tem sua própria religião, por mais que neguem tal fato. Cada uma tem seus ritos, símbolos, objetos, canções, soteriologia e crenças sagradas bem definidas. Por mais que aceitem membros de todas as outras religiões, ainda assim continuam sendo uma religião. É como se fosse um conjunto universo de religiões. Uma sociedade secreta A (conjunto universo de religiões A) admite como elemento um subconjunto B (uma religião qualquer), tornando assim B semelhante a A, pelas características e propriedades semelhantes. Logo, admitindo o cristianismo como uma religião, e uma sociedade como a Rosacruz, os pontos em comum farão com que a Rosacruz absorva grande parte dos ensinamentos contrários do cristianismo, deixando o adepto cristão semelhante ao adepto não-cristão dessa sociedade. Assim, o cristão não é mais cristão, mas rosacruciano.
O CARÁTER FILOSÓFICO
Grande parte dessas sociedades costumam ter uma filosofia humanista, isto é, um pensamento voltado para a elevação e auto-realização do homem. Outras tem uma filosofia deísta (tudo é Deus e Deus é tudo). Outras são existencialistas. Mas a maior parte tem uma filosofia exclusivista em alguma área social. A Ku Kux Klan por exemplo, dizia que os negros deveriam ser exterminados, pois contaminam a sociedade. Semelhantemente dizia a Sociedade de Thule, principal fundamento por trás do nazismo alemão, que os judeus deveriam ser exterminados. Mas o fato é que todas as sociedades secretas estão dentro de uma filosofia maior, conhecida como Nova Era (New Age), onde o objetivo final é a divinização do homem, através dos milagres da ciência e da extinção da religião. A Nova Era faz parte de um plano diabólico para a implantação da Nova Ordem Mundial (New World Order), onde veremos um único governo mundial, centralizado nas mãos de um único homem, o Maitreya. Nesse governo, tudo o que era utopia virarpa realidade, graças ao imenso avanço científico e tecnológico, o que fará as pessoas desprezarem qualquer noção de Deus. E para isso, é necessário transformar a sociedade aos poucos. Por isso é que tomaram o poder político do mundo. Mas o que eles não sabem é que isso tudo já estava descrito na Bíblia, como plano de Deus para o julgamento futuro.
Caro leitor, mesmo que as sociedades secretas sejam aparentemente boas e filantrópicas (como a Maçonaria), isso não é nenhuma novidade. Fazer boas obras é dever de todo homem, cristão ou não, mas que cabe principalmente aos cristãos. Não porque somos salvos por boas obras (Efésios 2:8 – 9), mas porque já somos salvos e por termos amor verdadeiro ao próximo é que fazemos boas obras. A maioria absurda das sociedades secretas possui a soteriologia das boas obras, e a Bíblia é veementemente contra ela. Logo, tais sociedades são incompatíveis com o cristianismo.
Amado irmão, você definitivamente não precisa de uma sociedade secreta para viver, nem na terra, nem no céu! Como vimos aqui, não é possível viver em uma sociedade secreta e no cristianismo ao mesmo tempo. Se você faz parte de uma, sugiro que reflita profundamente nos ensinamentos dela e compare-os ao ensino de Jesus e seus discípulos. E tome uma decisão definitiva: ou Cristo, ou o segredo. Lembre-se: sua vida eterna pode depender dessa decisão!
Que Deus nos abençoe e nos livre das enganações do diabo.

CRENTE ZUMBI

crente_Zumbi
Por Renato A. O. de Andrade
Infelizmente, a charge acima nos mostra a realidade da maioria dos “crentes” de hoje.
São como zumbis, que entram na igreja somente para receber as bençãos e unções de todo tipo. Com isso, a igreja fica cheia de zumbis sedentos por sinais, milagres
e unções feitas por supostos pastores, bispos, apóstolos, etc. E saem de lá pior do que eram, porque a fé fica inconsistente, sem base bíblica sólida. Assim, vão para suas covas depois de se saciarem com seus próprios deleites…

Que Deus tenha misericórdia de todos nós!

SOLDADOS PRONTOS

No Brasil todos os homens jovens que completam 18 anos precisam se alistar, não é algo opcional, ou você se alista, ou então você perde o direito de cidadão brasileiro. Alguns que se alistam são dispensados enquanto que outros continuam, indo (com muito trabalho, esforço e dedicação) de recruta à diversos outros cargos superiores. Gostaria de utilizar aqui um desses cargos; O soldado.
O termo “soldado” deriva do Latim: “solidarius” – alguém que é pago para servir. Genericamente, soldado é o posto mais baixo das forças terrestres, é como se fossem os peões de um jogo de xadrez, o que não os fazem menos importante, muito pelo contrário, o modo como você movimenta seus peões no jogo é que podem fazer você perder ou ganhar. Da mesma forma numa batalha onde você tenha soldados despreparados, ou os ignora, fará com que você perca a batalha facilmente.
Agora que já relembramos um pouco dos soldados, vamos ver o que o apóstolo Paulo diz em 2Timóteo 2:3-5:
“Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.
Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.
E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.”

Um soldado não está numa guerra para brincar, ou simplesmente para descansar e viver tranquilamente, eles está lá para guerrear, e numa guerra ele passa por diversas aflições, uma delas é o perigo constante e outra é ele perceber que a qualquer momento pode morrer ali.
Trazendo agora para o contexto bíblico, Paulo chama à Timóteo,
“Sofre, pois, comigo, as aflições”, que aflições seriam essas? Ora um cristão não deve achar que o fato de ter sido salvo signifique não fazer mais nada e viver uma vida sem alvoroços até sua morte. Em 1Pedro 4:12,13 vemos:
“Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse;
Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.”

O apóstolo Pedro aconselha aos cristãos não estranhar as provas que virão, sim somos co-participantes do reino que virá, porém devemos também sofrer as aflições de Cristo e disso devemos nos alegrar.
Um soldado deve semrpe estar em alerta certo? Porque caso contrário estará desprotegido e também irá desproteger o resto do exército. Logo cada soldado deve sempre estar pronto para lutar, pronto para seja qual for a adversidade que vier. O mesmo funciona com um cristão. Devemos ser “soldados prontos” de prontidão para o que veio e está por vir. E como podemos ver tanto na vida de Jesus, quanto a dos apóstolos e dos cristãos da igreja primitiva, relatado na Bíblia, a vida de um cristão é atribulada, vejamos como Paulo continua escrevendo à Timóteo em 2Timóteo 2:9-13:
“Por isso sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa.
Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.
Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;
Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;
Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.”

Devemos sofrer sim, neste mundo que jaz no maligno e que virou as costas para o Deus que criou. Para sermos soldados prontos, devemos ser cristãos verdadeiros, firmados no amor, amor esse que Deus teve por nós primeiramente.
Lembram la no começo do artigo que eu escrevi que “O termo “soldado” deriva do Latim: “solidarius” – alguém que é pago para servir. “. Ora um soldado é pago para servir, mas e um cristão? Vejamos em 1Coríntios 6:20:
“Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.”
Quer maior pagamento do que aquele que Jesus pagou na cruz? Pensemos pois, somente nesse pagamento, a remissão dos pecados e o “elo” com Deus estabelecido. Antes de pensarmos que Deus somente tenha amor, Ele também possui a justiça, ele é o único que detém a justiça verdadeira, e segundo à sua justiça, nós não poderíamos alcançar a salvação por meios próprios. Ora, não EXISTE “jeitinho” com a justiça de Deus, ou é ou não é, ou é condenado ou não é.
Estavamos TODOS condenados, até que com seu infinito amor, Deus envia à terra seu filho. Pra muitos algo insignificante, mas para aquele que nEle crê algo sublime! Jesus sofreu como um grande soldado, mas a fonte principal do seu sofrimento não foram os espinhos, muito menos ficar “pendurado” naquela cruz. Não, o maior sofrimento foi causado por NÓS! Sim, ele sofreu por nossas trangressões. Sabe o que significa separar um pai ou uma mãe de uma criança por 3 dias? Isso é uma tortura para a criança. E pior foi para Jesus, que saiu lá do lado do Pai, em toda glória, para ser humilhado. Uma lição, que devo tratar em outro artigo para não fugir o sentido desse (se é que já não fugi :D ).
Dei essa volta toda pra mostrar que o salário do “soldado pronto” já foi pago, e melhor ainda, tem “extras”; Não bastasse Jesus pagar nossos pecados, Deus ainda no ajuda em toda a nossa vida. Isso é motivo para se alegrar? Pra muitos não, é só vir uma afliçãozinha que seja, a mais ínfima que puder e o “soldado” já resmunga querendo “pedir para sair”, mas para um “soldado pronto” isso é combustível para passar .
Para encerrar, citarei um versículo que gosto muito, que segue na sequência dos quais já citei aqui, 2Timoteo 2:15
“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.”
Alias, gosto tanto deste versículo que ele está até na música “Estamos Prontos?” de meu grupo “Contra Correnteza” ^^, mas voltando ao artigo podemos dividir em três partes o versículo:
1ª: “Procura apresentar-te a Deus aprovado”
Aprovado lembra passar por uma prova certo? Quantas provações Deus nos dá durante a vida para crescermos! O problema é quando se reclama delas, pedindo à Ele eloquentemente que elas sumam de nossas vidas. Mas e como você vai ser aprovado como um “soldado pronto” se você não passar por provas? Você já viu algum soldado ir para o exército sem treino? Se for certamente morrerá ou não suportará uma batalha. Devemos nos alegrar com as provações e crescer vencendo-as mostranda para Deus que estamos prontos para servi-lo!
2ª: “como obreiro que não tem de que se envergonhar”
Não se envergonhar é fazer tudo aquilo que é correto, não temer que alguém se escandalize com algo que nós fazemos, pois isto é justificado. Deus vê e ouve tudo em qualquer lugar que seja, logo dEle nós não podemos se esconder, todos os nossas ações e pensamentos devem ser concebidos conscientes de que não envergonharemos o Pai. Imaginem um soldado que é de um exército “X” e ele é encontrado em uma “festa” exatamente no dia de treinamento no quartel. Ele quebrou as regras, é motivo de vergonha para o quartel “X” pois integrantes exército “Y” estavam de folga e o viram lá. Já sabemos que este soldado seria punido. Mas pensemos num cristão que não dá testemunho, como ele terá créditos de um “soldado pronto” se ele simplesmente negligência aquilo que Deus disse ser o certo? Estejamos atentos em tudo que fizermos pois isso pode ser usado como uma “arma” pelo inimigo ;)
3ª: “que maneja bem a palavra da verdade”
Pensemos nesse soldado do exército “X”, por ele negligenciar as regras, ele perfeu vários treinos e aulas de como manejar a arma, e logo não saberá como utilizá-la. Como poderia ele guerrear se mal sabe pegar em uma arma?
Voltemos à nosso versículo, quando Paulo diz manejar bem, não diz apenas manejar e sim manejar BEM a palavra da verdade. Ler a Bíblia qualquer um pode estar lendo diariamente, um versículo hoje, outro amanhã …, ou então, só ler quando for à igreja. Ás vezes é feita a leitura por obrigação, ou por “desencargo de consciência”, porém, não é isso que Deus quer. Devemos manejar BEM a palavara da verdade, mas não por obrigação, mas por vontade própria, vontade de se tornar a cada dia um soldado mais preparado, pronto pra qualquer batalha que vier. Para isso devemos pedir ao Pai que nos capacite em ler sua palavra e também para que aprendamos e apliquemos ela em nossas vidas!
Que encerramento longo não? rsrs apesar do longo texto, obrigado se você leu tudo ^^, espero que você possa estar sendo um “soldado pronto” de Jesus Cristo, e se ainda não é, aliste-se já! (para se alistar basta se arrepender dos seus pecados, crer que Jesus morreu e ressuscitou para a remissão de nossos pecados e então seguir sua nova vida de recruta e futuramente um soldado!). Pois se você está vivo é porque Deus está prorrogando as inscrições para você ;) .

Por William V. F. Lima

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Porta estreita?


Uma charge sobre sobre a entrada ao Céu.
Reflita antes de fazer qualquer comentário.
Por Jeas

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Como ser chutado facilmente duma igreja

AS NOVAS 95 TESES PARA REFORMAR À IGREJA REFORMADA

AS NOVAS 95 TESES PARA REFORMAR À IGREJA REFORMADA

Por Renato A. O. de Andrade

1° – Deveria se ensinar aos cristãos a voltarem ao verdadeiro Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, ao invés de levá-los aos shows gospel.

2° – Deveria ser ensinado aos cristãos que a suposta liberdade que eles alegam ter é limitada pelo amor a Deus.

3° – Deveria se ensinar ao cristão que Deus exige mais fidelidade em sua vida do que no dízimo.

4° – O pastor que prega a chamada “cura da alma” está pregando doutrinas humanas, pois não há nada nas Escrituras que sustentam tal aberração.

5° – Devia ser dito aos crentes que o dízimo é voluntário, não uma obrigação. Comparar o dízimo com uma obrigação constitui-se no mesmo erro das indulgências.

6° – Pois assim como os papas diziam que ao pagar uma indulgência a alma do pagador estaria livre do inferno, hoje se diz que ao dar o dízimo Deus vai abrir as janelas do céu para o pagador e livrá-lo do devorador, como se Ele tivesse a obrigação de tal ato.

7° – A leitura da Bíblia é de fundamental importância para os dias de hoje, de modo que tal leitura tem a obrigação de ser ensinada na igreja de hoje.

8° – Deus dá bençãos a quem quer, quando quer, quanto quer e se Ele quiser.

9° – Não cabendo por tanto a nós, pobres e miseráveis seres humanos, buscar tais bençãos, como se elas fossem prêmios de Caça ao Tesouro.

10°- O mesmo vale com respeito aos chamados “dons espirituais”.

11° – Deveria se dizer ao dizimista que se ele estiver de posse do seu dízimo, e ver a um necessitado e só tendo o seu dízimo com o que o acolher, e não ajudá-lo, mas ao invés disso entregar o dízimo diante de um ilusório altar, estará trazendo sobre si o verdadeiro devorador, a ira de Deus.

12° – Não se deve usar palavreados e jargões que denotam alguma ordem (eu declaro, eu exijo, eu quero, eu faço…) ao se referir a Deus.

13° – Pois quem é o infeliz homem que assim procede, achando que pode dar ordens a Deus? Este tal é presunçoso, e se não se arrepender, verá a ordem de Deus enviando-o ao inferno.

14° – A todos os cristãos deveria se ensinar o arrependimento de seus atos pecaminosos, o que implica em não somente deixar de fazer tais atos, mas mudar completamente sua vida em função de uma vida ao lado do Senhor Jesus Cristo.

15° – Porque o verdadeiro Cristianismo não é uma religião, mas um modo de vida.

16° – Sendo assim, todo aquele que se diz cristão, mas não toma para si o modo de vida cristão, está sendo hipócrita e indo a caminho do inferno

17° – Define-se como estilo de vida cristão o amor aos ensinamentos claros e precisos de nosso Senhor Jesus Cristo, deixados explicitamente em sua Palavra.

18° – Define-se como amor, uma Ação, não um sentimento deturpado pelo enganoso coração do homem. Foi em ação que consistiu o grande amor de Deus, que por nós deu seu Filho para que tivéssemos vida em abundância.

19° – Deixando claro que, para o homem obter essa vida em abundância, ele deve negar-se a si mesmo, renunciando e mortificando a sua própria carne e seu próprio ser, por meio de um genuíno arrependimento.

20° – Portanto, se amamos a Deus realmente, temos o dever de renunciar nossos próprios direitos como ser humano, obedecendo ao Pai até a morte.

21° – É dever de todo cristão a prática da Evangelização. Define-se como Evangelização a própria vida de um cristão e a entrega da maravilhosa (para os crentes) e terrível (falando humanamente) mensagem do Evangelho: Arrependei-vos, pois está próximo o Reino de Deus, e de fora ficarão os que procederem em coisas vãs.

22° – Sendo assim, devemos pregar o Evangelho não porque é mandamento do Senhor, mas porque amamos a Ele.

23° – Nunca se deve colocar as emoções à frente da Evangelização e da adoração, pois tais emoções são nada mais do que ilusões psicológicas que desviam a atenção do ser humano para o verdadeiro foco.

24° – Deveria ser ensinado aos cristãos da presente época, onde estamos nos aproximando dos tempos finais, a tomarem cuidado extremo com os mestres que ensinam na igreja.

25° – Porque é sabido que o tempo da apostasia chegou, e muitos desviam a simplicidade da pregação do Evangelho de Cristo, indo para as pregações do Evangelho do Homem.

26° – É altamente hipócrita o pastor que diz ser um homem de Deus, aceitar ser chamado de profeta e apóstolo. Primeiro porque provavelmente mal sabe o que esses títulos significam realmente, e segundo porque se soubesse não gostaria de tê-los tomado para si.

27° – Porque os verdadeiros apóstolos e profetas eram homens desprezados, odiados e martirizados pela sociedade, considerados lixo e escória de todos, assim como o próprio Senhor Jesus.

28° – Deveria ser ensinado que se alguém quiser ser discípulo de Jesus deve se preparar para correr o risco de ser odiado pela sociedade, até mesmo pela sua família e seus amigos.

29° – Assim como deveria ser ensinado que a igreja não é um templo, uma instituição, uma casa, ou um lugar onde se celebra a Jesus, mas que a igreja está dentro de cada pessoa que faz parte dela.

30° – E que a igreja custou muito caro, o maior preço de todos os tempos, o sangue de Cristo. E também custou sangue de seus discípulos e de todas as pessoas que deram a vida em favor do Evangelho, de modo que este chegou até nós.

31° – Assim sendo, não temos a liberdade de fazermos o que bem entendermos dentro da igreja (congregração), mas apenas o que Jesus nos mandou fazer: estudar, ensinar e viver a sua Palavra.

32° – Colocar coisas proféticas nas reuniões da igreja, tais como dança profética, “shu” profético, clamor profético e outras aberrações proféticas constitui-se numa clara e irracional desobediência à Palavra, por não haver nada nela que sustente tais coisas.

33° – À isso, acrescenta-se a moda gospel, onde tudo que é aparentemente cristão tem sido chamado de gospel. Também não encontra nada que se justifique a criação de boates gospel, lanchonetes gospel, sex shop gospel, dança gospel, camisa gospel etc. nas Escrituras.

34° – Porque tais pessoas estão pisando no sangue de Cristo, manchando seus pés com aquilo que foi derramado pelos próprios pecados delas.

35° – Todo crente deve estar alertado para o fato de que se alguém fez alguma coisa na antiguidade, tal como a dança do rei Davi em frente à arca, não implica nem lhe dá o direito de se fazer o mesmo numa congregração.

36° – Hipócrita é o pastor que acha que pode impor as mãos em qualquer pessoa, em clara desobediência à Palavra.

37° – Assim como é hipócrita o pastor que prega o dízimo ao seu rebanho e ele mesmo não dá o dízimo.

38° – A igreja que não acolhe aos necessitados, ou que diz que um crente não pode abrir mão do seu dízimo em favor de alguém necessitado está roubando a Deus.

39° – A igreja que atrai um grande número de pessoas por causa de supostos milagres que ali acontecem, mesmo que pregue o Evangelho, está fadada a ser condenada no Juízo.

40° – Porque aos cristãos deveria ser ensinado a não irem atrás da igreja por causa de sinais e maravilhas, porque tais coisas até mesmo o diabo as faz.

41° – E também deveria ser avisado ao crente que ele deve ir à igreja porque ama ao Senhor, não para resolver seus problemas.

42° – Porque Deus não é um manipulador de fantoches, muito menos um gênio da lâmpada para resolver os desejos e problemas dos religiosos.

43° – Não ha garantia de qualquer espécie, de que o que um pastor fala procede de Deus.

44° – Logo, é pretensioso, irracional e sem fundamento dizer ou presumir que qualquer sermão de qualquer pastor veio da “boca de Deus”.

45° – Deveria ser ensinado aos cristãos o real significado de expressões comumente usadas, tais como “Aleluias”, “Deus é tremendo”, “Eu profetizo” etc. porque a pessoa que fala tais coisas sabendo o que significam, está sendo falsa e fadada ao Juízo.

46° – A mentira de que “Deus é amor e tolerante” deve ser seriamente combatida, pois Deus é amor, mas também é justiça e não deixará impune, nem tolerará aqueles que claramente desobedecem a sua Palavra, pisando no sangue de Cristo, para se deleitarem em suas concupiscências.

47° – Não existe mais nenhum altar, nenhum templo, onde Deus supostamente habita. Logo, é infundada qualquer concepção de música, adoração ou oração onde se quer recolocá-lo num altar ou dentro de uma construção banal chamada templo.

48° – Só existe uma pessoa a quem um louvor pode ser dirigido: a Deus. E Deus não é Deus de confusão.

49° – Sendo assim, se uma música tem letras antropocêntricas, egocêntricas ou não louvam diretamente a Deus, ou se ela infrige diretamente a Palavra, ou se ela tem letras que dão margem à duplas interpretações, e é erroneamente chamada de louvor e cantada em uma igreja, tal igreja é hipócrita e está louvando e adorando ao diabo.

50° – Deveria ser ensinado aos crentes a orarem pelos cristãos perseguidos em toda parte do mundo, ao invés de orarem pedindo bençãos e mais bençãos.

51° – Deveria se pregar mais nas congregações e cantar menos.

52° – O batismo não salva, nunca salvou e nunca salvará. Logo, o modo como é feito o batismo é irrelevante, sendo inadimissível a discussão entre as denominações por causa disso.

53° – Louco está o homem que pensa que pode perdoar a Deus.

54° – Aos cristãos deveria ser ensinado a não fazerem profecias se não tiverem realmente o dom para tal. Porque Deus lançará no inferno todos aqueles que profetizam falsamente em Seu nome.

55° – Se um pastor não se contenta em ser chamado simplesmente de pastor, querendo ostentar títulos como apóstolo, profeta ou reverendo, ainda que pregue o santo Evangelho do Senhor, é hipócrita, vil comerciante de almas e está fadado ao inferno.

56° – Uma igreja que “incha” em número de freguezes por causa do comércio de milagres terá que prestar contas ao Grande Juiz, tendo o risco de ser lançada no lago de fogo.

57° – O diabo não é, nunca foi e nunca será o governador desse mundo, ainda que aparenta ostentar tal posição.

58° – O crescimento da verdadeira igreja só poderá ocorrer, se e somente se, Deus quiser, pois é Ele que dá tal crescimento.

59° – Assim posto, considera-se herético e irracional qualquer método de crescimento inventados pelos homens gananciosos.

60° – Porque Deus não precisa dos propósitos, das células ou qualquer alegado paradigma de crescimento para a sua igreja.

61° – Pois Ele bem sabe quem são os seus escolhidos.

62° -O fato de alguem dizer que “aceita” a Jesus não implica que seja aceito por Ele.

63° – A principal missão da igreja de Cristo é viver e pregar o Evangelho, pois se não vive o que se prega, tal pregação é vã.

64° – Todo tipo de teologia moderna que não consta nas Escrituras (teologia da libertação, da prosperidade, da restituição etc.) é outro evangelho.

65° – Devendo ser consideradas anátemas, assim como seus pregadores.

66° – Está pisando no sangue de Cristo o homem que se diz cristão e adotar costumes judaicos.

67° – Aos homens deve ser ensinado a seguir a Cristo ao invés de seguir outros homens hipócritas e camelôs de almas.

68° – Porque os camelôs de almas, tendo vendido a sua própria ao diabo em troca de prosperidade terrena, comercializam com ele as almas de outras pessoas, levando-as a fazerem o mesmo com suas almas e de outras.

69° – Aos cristãos deveria ser ensinado a se preocuparem mais com as outras pessoas do que a si mesmas.

70° – Pois nisso consiste o verdadeiro amor, dar sem esperar receber algo em troca.

71° – A igreja não precisa de templos gigantes e luxuosos, que despertam ainda mais a ganância e o amor ao dinheiro em seus pastores.

72° – Visto que a verdadeira igreja vai aonde tiver que ir, não importando o local ou as circunstâncias características do local.

73° – Todas as verdades da Palavra de Deus são absolutas, e ai daquele que relativizá-las para adequá-las a seus caprichos mundanos.

74° – Porque Deus é imutável, bem como sua Palavra, não precisando se adequar aos tempos da história por homens incautos.

75° – O pastor que tem outras fontes de rendimento além do dízimo e das ofertas de sua congregação é hipócrita e está roubando a Deus.

76° – Para o inferno irão os que julgam conseguir a salvação comprando-a com seus dízimos, assim como os que ensinam tal doutrina.

77° – Deveria ser dito aos crentes que os homens que se acham “cheios de poder” para curar, expulsar demônios e fazerem prodígios e sinais, mas ostentam o primeiro lugar nas platéias, nos meios de comunicação em massa e são vistos como grandes homens de Deus, são na verdade hipócritas, não tendo poder nenhum, a não ser os que vem do diabo, e se não se arrependerem irão para o inferno junto com este.

78° – Nenhum objeto tem a suposta propriedade de canalizar o poder de Deus, nem mesmo quando são carregados por lobos travestidos de ovelhas.

79° – Deveria ser dito aos cristãos que a data para o “fim do mundo” só pertence a Deus, e que o homem que tentar calcular ou profetizar tal data é um falso profeta.

80° – Deveria ser ensinado aos crentes a confiarem mais na Palavra de Deus ao invés de seguir homens loucos visionários e sonhadores.

81° – Visto ser muito fácil para o homem inventar sonhos e visões.

82° – Também deveria ser ensinado que grande parte dos “cantores gospel” são hipócritas e ladrões e vendedores de almas.

83° - Pois são seduzidos pelo sucesso e pelo dinheiro, de modo que deixam seu propósito original (o de louvar ao Senhor) para serem animadores de auditório da política do show e benção gospel.

84° – Todo cristão deveria imitar o exemplo de Jó, se Deus de repente lhe tirasse tudo o que possui.

85° – Porque Jó, conhecendo a Deus só de ouvir falar, não ousou reclamar nem por um segundo sequer de sua situação, pois amava a Deus pelo que Ele era, não pelo que Ele pode dar.

86° – Ao passo que, os crentes da moda gospel, querem mais e mais bençãos para si mesmo, usando para justificar tal egoísmo demoníaco a Palavra de forma distorcida.

87° – Afim de usarem o nome de Deus em coisas vãs, para deleitarem-se em seus desejos. A esses a condenação é certa.

88° - É dever de todo cristão seguir o Sermão do Monte, pois ali está a essência da forma de vida correta e agradável a Deus.

89° – Porque se alguém diz que ama a seu próximo, mas odeia a seu inimigo, este é mentiroso e charlatão.

90° – Porque os grandes pastores, mais ricos até mesmo que alguns dos maiores empresários, ao construírem outra mega-igreja, não a constroem com seu próprio dinheiro, o invés de usar o dinheiro dos pobres e enganados membros de suas empresas?

91° – Sim, as igrejas se tornaram empresas, mas irão para a condenação eterna aqueles que as transformaram em tais coisas.

92° – Aos jovens deveria ser ensinado a leitura da Palavra, resultando em ação na vida prática, ao invés de se deleitarem em congressos e shows gospel.

93° – Pois de nada adianta um crente ir para a igreja quantas vezes por dia forem necessárias, assistir a todos os cultos e congressos, orar três vezes ao dia e ainda assim achar que está agradando a Deus com tais atos.

94° – Porque se o crente não nascer de novo, e não experimentar uma genuína mudança em sua vida, isso tudo será em vão.

95° – Porque aquele que realmente ama a Deus, não ama só de palavras, mas de fato e de verdade.